Como gênero e escolaridade interagem nos padrões de inatividade física em diferentes domínios em adultos?

  • DEL DUCA G
  • NAHAS M
  • GARCIA L
  • et al.
N/ACitations
Citations of this article
20Readers
Mendeley users who have this article in their library.

Abstract

Resumo O objetivo do estudo foi identificar interação entre gênero e escolaridade na ocorrência de inatividade física em diferentes domínios (deslocamento, domicílio, lazer e trabalho) em adultos de Florianópolis, Santa Catarina. Os dados foram coletados de setembro/2009 a janeiro/2010 com indivíduos de 20 a 59 anos. Empregou-se um delineamento transversal de base populacional e a inatividade física em cada domínio foi definida como a não participação em atividades físicas específicas, avaliadas por questionário validado aplicado por entrevistas face a face. Foram entrevistados 1720 adultos. Nos homens, a prevalência de inatividade física foi mais elevada do que entre as mulheres no deslocamento (56,9% versus 44,5%; p < 0,001, respectivamente) e no domicílio (79,0% versus 40,4%; p < 0,001 respectivamente). No lazer, a inatividade física foi mais frequente entre as mulheres (58,1% versus 45,5%; p < 0,001). Interações entre gênero e escolaridade foram estatisticamente significativas no deslocamento (p = 0,004), domicílio (p < 0,001) e lazer (p = 0,04). No deslocamento, os homens foram mais inativos do que as mulheres dos cinco aos oito anos completos de estudo. A inatividade física no domicilio foi maior entre os homens em todos os níveis de escolaridade, com redução na magnitude das diferenças percentuais entre os gêneros, conforme o aumento da escolaridade. No lazer, as mulheres foram mais inativas do que os homens a partir dos nove anos de estudo. Constataram-se diferentes interações entre gênero e escolaridade conforme os padrões de inatividade física em seus diferentes domínios.Abstract The aim of the study was to identify interactions between gender and education on the prevalence of physical inactivity in different domains (commuting, household, leisure and work) among adults of Florianopolis, Brazil. Data were collected from September/2009 to January/2010 with individuals 20-59 years old. This was a cross-sectional population-based study, and physical inactivity in each domain was defined as non-participation in specific physical activities, using a validated Brazilian questionnaire administered by face to face interviews. We interviewed 1720 adults. In men, the prevalence of physical inactivity was higher than among women in commuting (56.9% versus 44.5%; p < 0.001, respectively) and at home (79.0% versus 40.4%; p < 0.001, respectively). In leisure, physical inactivity was higher among women (58.1% versus 45.5%; p < 0.001). Interactions between gender and education were statistically significant in commuting (p = 0.004), household (p < 0.001) and leisure (p = 0.04). Men were more inactive than women from five to eight years of schooling. Household physical inactivity was higher among men at all levels of education, with a reduction in the magnitude of the percentage differences between the genders, with increasing of education. In leisure, women were more inactive than men since nine years of study. Different interactions between gender and schooling were observed according to the patterns of physical inactivity in different domains.

Cite

CITATION STYLE

APA

DEL DUCA, G. F., NAHAS, M. V., GARCIA, L. M. T., & PERES, M. A. (2015). Como gênero e escolaridade interagem nos padrões de inatividade física em diferentes domínios em adultos? Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 29(4), 653–661. https://doi.org/10.1590/1807-55092015000400653

Register to see more suggestions

Mendeley helps you to discover research relevant for your work.

Already have an account?

Save time finding and organizing research with Mendeley

Sign up for free